Riscos são eventos que têm probabilidade de ocorrer e prejudicar a rotina de operações de uma empresa. Nesse contexto, a gestão de riscos é o processo usado para organizar e planejar as ações necessárias para mitigar esses acontecimentos indesejados.

Leia o post e fique por dentro das principais etapas para conduzir o gerenciamento de riscos e minimizar os efeitos dos danos que eles podem causar ao seu negócio. Confira!

Aprenda a diagnosticar riscos

A primeira etapa para implantar a gestão de riscos consiste em identificá-los. Sua empresa é única no mundo, pois tem características singulares relacionadas à cultura, produtos ou serviços, modelo de gestão adotado, experiências dos gestores e demais colaboradores. É preciso mapear todo esse cenário para que os riscos sejam identificados conforme a sua realidade.

É necessário definir quais são os processos relevantes relacionados aos fornecedores, finanças, vendas, marketing, entrega, gestão de pessoas etc.

Quando visualizar quais são os pontos vulneráveis nesses processos, identifique os principais riscos associados a cada um deles, como quebra de estoques, excesso de recebíveis em longo prazo, sazonalidades, novos concorrentes, desmotivação de funcionários, entre outros.

Estabeleça a gestão por indicadores e utilize métricas para monitorar o desempenho, favorecendo a atuação preventiva que normalmente é mais simples e barata que resolver algo em estágio crítico.

Priorize o que for importante

Leve em conta a probabilidade de ocorrência e o tamanho do impacto causado. Uma vez que você saiba quais são os principais riscos, direcione a maior parte de suas ações e recursos para fazer com que sejam eliminados ou ocorram apenas eventualmente.

Quanto mais crítico o risco, maior terá que ser a atenção dada. Por exemplo, se sua empresa sofre com a alta rotação de colaboradores, é preciso investir em retenção. Se o problema for de caixa, busque formas de reduzir a inadimplência.

É recomendável estabelecer uma escala de pontuação dos riscos, atribuindo menos pontos àqueles que são menos relevantes e mais pontos aos que são prioritários. Você pode envolver toda a equipe e pedir que contribuam nessa avaliação.

Faça o planejamento das respostas

Quando os riscos estiverem mapeados e priorizados, é hora de estabelecer os planos de ação voltados à mitigação deles. Ou seja, os meios que sua empresa vai utilizar para evitar esses problemas e resolvê-los caso ocorram.

Estabeleça soluções claras e exequíveis. Adote procedimentos operacionais padrão, revise processos, utilize ferramentas de controle e determine diretrizes e políticas que orientem a atuação dos colaboradores.

Essa etapa é fundamental para garantir a sustentabilidade e perenidade da operação. Os funcionários devem saber exatamente o que fazer no caso de uma ocorrência. Por exemplo, se um fornecedor não conseguir realizar uma entrega, quais são as orientações que seu empregado deve seguir para que a empresa continue funcionando?

Comece com as ações mais simples de serem executadas e que trazem retorno mais rápido. Quase sempre, elas são as que têm menor necessidade de investimento. Classifique as soluções de acordo com o esforço necessário para sua implantação e com o benefício que podem gerar e execute-as conforme suas principais necessidades.

Incorpore a gestão de riscos na rotina

É fundamental que a iniciativa voltada ao gerenciamento de riscos faça parte do dia a dia da empresa, que seja incorporada à cultura e aconteça de maneira natural e orgânica.

Quanto mais bem treinadas são as pessoas, mais elas sabem o que fazer e menores se tornam os impactos. Solucionar os eventos negativos passa a ser algo habitual e o número de ocorrências tende a diminuir consideravelmente com o passar do tempo.

Infelizmente, ainda observamos baixa adesão a essas boas práticas. Além do desconhecimento, muitos empresários e colaboradores ainda insistem em agir apenas com base em feeling, desprezando os inúmeros benefícios trazidos por uma atuação pautada em metodologia. Uma pesquisa da Marsh Risk Consulting mostra que apenas 36% das empresas brasileiras adotam práticas voltadas à gestão de riscos.

Realizar a gestão de riscos de modo eficiente pode ser um fator-chave para garantir o sucesso de seu negócio. Se sua empresa ainda não está trabalhando nesse sentido, você deveria seriamente considerar essa implantação. Na ACP você pode encontrar inúmeros serviços para ajudá-lo nessa trajetória.

Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos como este e ficar por dentro das novidades da ACP!

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.