“A inteligência artificial não é uma questão de tecnologia, mas, sim, de negócios”. Essas palavras vão de Jacques Chicourel, Head of Digital Services da Siemens Healthineers.

Automatizar processos e facilitar decisões são apenas algumas das vantagens da inteligência artificial que, até 2030, estará presente em 70% das instituições, segundo a McKinsey & Company

 

A inteligência artificial é a nova eletricidade

Benjamim Franklin mudou o mundo quando descobriu a energia elétrica. No começo, algumas pessoas sentiram medo. Elas acreditavam que a eletricidade colocava suas vidas e seus empregos em risco. 

Algo similar acontece, hoje, quando falando em inteligência artificial e é por isso que o cientista Andrew Ng a comparou com a eletricidade. Assim como a energia elétrica impulsionou a Revolução Industrial, a IA provocará mudanças na indústria, no comércio e em toda a sociedade. 

 

Surgimento e perspectivas para o futuro

A Inteligência Artificial não é tão recente quanto parece. Na verdade, ela começou a ser desenvolvida logo após a Segunda Guerra, pelo pai a computação Alan Turning. Naquela época, a IA era conhecida como “a ciência e engenharia de produzir máquinas inteligentes”. 

Hoje, essa tecnologia evolui cada vez mais rápido graças à computação em nuvem e a maior capacidade de armazenamento de dados.  Aliás, se você utiliza os produtos e serviços da Netflix, Amazon, Spotify, Apple e Google, então, você já tem contato com uma IA. 

Mais de 35 mil empresas, startups e instituições de pesquisa atuam na área e os investimentos não param de crescer. Estima-se que, em 2022, serão injetados U$77,6 bilhões nessa nova tecnologia

Ainda assim, um longo caminho precisa ser percorrido, principalmente no que se diz respeito à cognição, isto é, ao aprendizado das máquinas. Uma das maiores dificuldades dos robôs é a distinção de objetos sobrepostos, por exemplo.  

 

Como a Inteligência Artificial é utilizada pelas empresas

Vamos analisar o case da Alibaba, maior plataforma de negócios B2B online do mundo. Nela, a inteligência artificial é utilizada para impulsionar vendas. Você pode fotografar um produto que viu na rua e fazer o upload no site. Em poucos segundos, o sistema inteligente irá sugerir itens similares (senão iguais) ao da foto. Não é incrível? A Alibaba também utilializa a realidade aumentada e a realidade virtual para criar experiências de compra inesquecíveis. 

Assistentes virtuais, carros autônomos, entregas por drones e até robôs que identificam doenças são outras possibilidades da inteligência artificial. 

Temos ainda, o cruzamento de informações e um melhor aproveitamento de dados gerados, auxiliando as empresas a obterem insights sobre seus clientes e estratégias comerciais. O Bradesco utiliza os dados coletados pela AI para analisar as experiências diárias dos usuários, obtendo índices, tabelas e gráficos que contribuem para a tomada de decisões.

A inteligência artificial também é útil na personalização do atendimento. Ao acessar um grande volume de dados e cruzar essas informações, a IA entende o comportamento dos consumidores. Nisso, consegue prever os melhores horários e meios de contato, e identificar quais são os produtos e serviços mais consumidos. 

Entender as possibilidades da inteligência artificial é empolgante e, ao mesmo tempo, um pouquinho assustador. Porém, não podemos ver essa tecnologia como obstáculo. Seu papel é justamente facilitar o nosso dia a dia e contribuir para o bem estar.

Com a inteligência artificial, as empresas pouparão tempo, recursos financeiros, humanos e, até mesmo, ambientais. Nossas soluções serão mais eficientes do que nunca!

A pergunta não é se a sua empresa utilizará essa tecnologia, mas quando. 

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.

Deixe uma resposta