Como saber se uma empresa está crescendo? Analisando o fluxo de caixa! Quando os recursos disponíveis não estão mais cobrindo as despesas está na hora de rever a estratégia. 

Grande ou pequena, toda empresa lida com um grande volume de operações financeiras como vendas, pagamentos, recebimentos e compras. Quando a gestão faz parte da rotina, controlar tudo isso é relativamente fácil. Mas, quando não sabemos ao certo o quanto foi movimentado, aí a história já é diferente. 

 

O que é fluxo de caixa?

Uma boa gestão financeira é fundamental para a prosperidade de qualquer negócio. Controlando seu dinheiro, suas vendas, as entradas e as saídas, você manterá suas finanças organizadas e sempre em dia. 

Em suma, o fluxo de caixa analisa do saldo disponível para que se faça o balanço correto de quanto capital a instituição possui. Assim, você saberá onde e porque foram gastos os recursos.  

 

Para que serve o fluxo de caixa?

Vamos direto ao ponto: sem um fluxo de caixa, sua empresa não vai sobreviver por muito tempo! Com ele, você saberá onde aplicar os seus recursos – e também cobrir possíveis imprevistos. 

No fluxo de caixa são registradas todas as movimentações financeiras. Todas mesmo. Desde o quanto você recebeu de um cliente até o custo de um novo sistema, por exemplo. A grande vantagem desse controle é que você pode prever como a sua empresa irá se comportar no futuro. 

 

Como controlar o fluxo de caixa

O primeiro passo é estipular a frequência do controle, que poderá ser realizado diariamente, semanalmente, a cada 15 dias ou mês a mês. Essa definição varia de acordo com o seu segmento e demanda. Se você possui um mercado, por exemplo, provavelmente terá que fazer o fluxo de caixa todos os dias.

Depois de definir o intervalo, faça um levantamento de todos os gastos mensais fixos. Aqui entra tudo o que é necessário para manter as operações da empresa: aluguel, luz, água, telefone, internet e, também, as folhas de pagamento, por exemplo. Essa listagem dirá qual deverá ser seu faturamento mínimo.

Como dissemos, o fluxo de caixa registra todas as movimentações financeiras. Mesmo que você receba ou gaste centavos, eles precisam ser anotados. Não se esqueça de marcar o motivo e data da ocorrência.

Também é importante dividir as movimentações. Criar categorias por departamento (marketing, vendas, atendimento, etc) ajuda a identificar gargalos e, então, eliminar custos desnecessários. 

Para facilitar esse processo, indicamos o uso de um sistema de gestão ERP

 

Dicas práticas

 

Verifique o fluxo de caixa todos os dias

Separe um momento do seu dia, de preferência no final do expediente, para conferir o fluxo de caixa. Assim, você identifica possíveis erros que possam comprometer o orçamento e os números do mês inteiro. 

 

Atenção ao planejamento

Quando você planeja ações de curto, médio e longo prazo, definindo o quanto pretende gastar em cada setor, os imprevistos são reduzidos. Logo, o fluxo de caixa é otimizado. 

 

Analise a rentabilidade

Sua empresa é realmente rentável? Ter certeza disso é um dos primeiros passos para fazer o fluxo de caixa. Se o seu negócio está lucrando, você pode usar o fluxo para tomar decisões com mais confiança. 

Avalie, ainda, os produtos e os serviços oferecidos para saber se os valores praticados são compatíveis com os lucros que pretende atingir. 

 

Faça projeções

Quer evitar ou reduzir problemas futuros? Então você precisa antecipar o fluxo de caixa. Uma boa ideia é utilizar um sistema de gestão para cruzar as informações e, assim, obter dados para projetar cenários. 

O que você ganha com isso? Preparo para os momentos em que as vendas diminuem. 

 

Não use o dinheiro do caixa para grandes compras

À primeira vista pode parecer uma boa ideia comprar algo sem recorrer a empréstimos e financiamentos. Mas é aí que você se engana! Ao realizar compras grandes com o dinheiro do caixa, sua empresa fica vulnerável a qualquer oscilação no montante de vendas. Você não quer sua empresa desprotegida, certo? 

Uma alternativa é utilizar uma parte do dinheiro para dar de entrada em um financiamento e pagar, aos poucos, o restante. Assim, você diminui os juros sem correr o risco de passar por apertos. 

 

Facilite o controle do fluxo de caixa

Fazer o fluxo de caixa não é tão difícil quanto parece – ainda mais quando você inclui essa prática na sua rotina. Ao controlar os ganhos e os custos, você “prevê” o futuro e adapta suas estratégias quando necessário.

Quer facilitar esse processo? Então, utilize um ERP! Além de integrar todos os setores, esse sistema gera relatórios automáticos. 

Como você faz o fluxo de caixa na sua empresa?