Para atender bem seus clientes e não colocar o seu negócio em risco, conhecer os tipos de vendas é essencial. Isso ajuda a aumentar a receita da sua empresa e também pode evitar problemas com a justiça, caso realize alguma prática considerada ilegal, como a venda casada.

Com o surgimento do e-commerce, passamos a ter ainda mais formas de oferecer um produto ao cliente. E, mesmo que você ofereça apenas serviços, ter maior conhecimento sobre as maneiras de fazer uma venda pode ser o seu diferencial dos concorrentes.

Veja abaixo os cinco principais tipos de vendas e quais deles são considerados legais e ilegais.

1. Venda direta

A venda direta é o tipo mais conhecido e, provavelmente, mais utilizado quando o assunto é oferta de bens de consumo ou de serviços.

Ela ocorre diretamente entre o vendedor e o comprador e não necessita de loja física. Assim, a compra que você faz em uma loja online também pode ser classificada como uma venda direta.

É uma prática com diversas vantagens para todos os envolvidos. Os revendedores, por exemplo, têm maior flexibilidade de horários, não precisam ter experiência prévia no assunto e conseguem lucrar de acordo com a dedicação.

O consumidor também é beneficiado com uma venda mais personalizada, algo que não encontrará no varejo tradicional.

2. Venda consultiva

A venda consultiva é, basicamente, alguém que vende o produto sem deixar que isso fique tão óbvio. Para realizar uma boa venda consultiva, é necessário iniciar o processo bem antes de entrar em contato com o cliente.

É preciso conhecê-lo muito bem, saber com que tipo de negócio ele trabalha, quais os principais problemas que enfrenta e encontrar soluções.

A ideia é que o produto acabe se vendendo sozinho depois de o vendedor passar por todas as etapas da venda consultiva: planejamento, descoberta de problemas, vantagens e desvantagens do seu produto ou serviço, respostas às objeções e, finalmente, fechamento da venda.

3. Venda casada

Se você já foi ao banco e eles disseram que só liberariam o financiamento do carro se comprasse também o seguro para automóveis que eles oferecem, então você esteve diante de uma venda casada.

Resumindo, a venda casada é uma forma de condicionar a venda de um produto à compra de outro e é ilegal, pois reduz o poder de escolha do consumidor.

Esse tipo de venda está expressamente previsto no Código do Consumidor, no artigo 39, inciso I. É considerada uma prática abusiva e, ao fazer isso em seu estabelecimento, você corre sérios riscos de ter problemas com a Justiça.

4. Venda consignada

Também conhecida por Contrato Estimatório, a venda consignada é quando uma empresa “deixa” parte de seus produtos com uma pessoa física ou jurídica para que possa vendê-los.

Quem vende ganha uma parte dos lucros, um tipo de comissão, e repassa o restante do dinheiro para o dono do produto.

Caso queira vender produtos do seu negócio dessa forma, será necessário fazer um contrato prévio com o possível vendedor. É assim, por exemplo, que funciona a venda de algumas marcas de produtos cosméticos muito famosas aqui no país.

5. Venda corporativa

Ocorre quando uma empresa tem como público-alvo outra empresa. É também conhecida como venda B2B (business to business ou, em português, negócio para negócio).

É um tipo de venda que exige maior conhecimento técnico e muito planejamento. Não é, portanto, uma venda feita com emoção como acontece, muitas vezes, com o consumidor.

Trata-se de uma venda complexa, na qual — antes da compra — a empresa analisa todas as necessidades e faz todos os cálculos para adquirir aquele item.

É muito importante conhecer os tipos de vendas para aplicá-los ao seu negócio. Ter uma equipe para orientar e ajudar o seu empreendimento a prosperar com ferramentas importantes pode ser o diferencial de que você precisa. Associe-se à ACP e faça a sua adesão online agora mesmo!