No primeiro semestre de 2019, os brasileiros compraram R$850 milhões com cartões de crédito e débito. Esse número representa um aumento de 18%, se comparado ao mesmo período de 2018. Os dados são da Abecs

A entrada de novos players, com produtos mais sofisticados, fortalece o mercado de cartões que prevê alta de 17% para este ano. 

 

Cartões contactless

Os cartões contactless tem um papel importante nesse contexto. Sua tecnologia de leitura é por aproximação, exigindo senha apenas para compras acima de R$50. O pagamento é realizado quando o cartão é aproximado a pelo menos 4 cm de distância do terminal automático. 

No mercado, encontramos cartões de crédito, débito e pré-pagos com essa tecnologia, além de smartwatches e smartphones. Os primeiros bancos a liberarem-na foram o Bradesco, Original e Nubank. 

Os pagamentos por aproximação são ideais para transações de baixo valor e situações que existem velocidade de pagamento. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, já podemos usar nossos cartões contactless para pagar a passagem de ônibus. As Secretarias Municipais estão testando a nova tecnologia, que promete melhorar a experiência dos usuários. 

Segundo a Forbes, em todo o mundo, uma a cada cinco transações presenciais são contactless. Até 2022, essa tecnologia deve expandir 24% por ano. 

 

Desafios

Apesar da facilidade, a tecnologia contactless ainda causa desconfiança e pode ser alvo de malfeitores. Por não exigir senha para pequenos valores, oportunistas podem fraudar transações ou ainda realizar compras com cartões roubados.

Diante dessa possibilidade, os lojistas precisam permanecer atentos, pois, além de perder o produto, terá prejuízos financeiros. Nesse contexto, a conciliação automática de vendas no cartão entra como grande aliada.

Ao verificar cada transação, os sistemas de conciliação são capazes de identificar fraudes. Com isso, o comerciante pode recorrer às operadoras a tempo e reaver o valor da venda. 

Sua empresa está preparada para receber pagamentos com essa nova tecnologia? 

 

Veja também: vale a pena vender com cartões? 

 

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.

Deixe uma resposta