Analisar o comportamento do mercado, avaliar práticas internas, identificar limitações, medir o alcance, definir o posicionamento. Toda empresa que busca por vantagem competitiva, busca, também, por diferenciação e propósito. Mas, como trilhar esse caminho? Tudo começa pela análise de dados.  

Se antes esse estudo era restrito apenas às grandes instituições, hoje empresas de todos os portes podem utilizar essa solução para obter insights e tomar decisões. Com essa ferramenta cada vez mais acessíveis, os empreendedores exploram novos conceitos e identificam o comportamento de compra de seu público alvo. Um estudo realizado pela Forrester Consulting apontou que, até 2020, 90% das empresas devem utilizar a análise de dados para orientar seus negócios.  Sua empresa faz parte desse grupo?

 

O que é análise de dados?

Quando o assunto é conhecimento, precisamos compreender sua estrutura:

  • dados — são a unidade básica das informações, compostos por letras, números ou sinais. Isolados e sem um contexto, não nos dizem muita coisa. É preciso analisá-los e decodificá-los para transformá-los em informação;
  • informação — é quando os dados são correlacionados e se tornam inteligíveis; 
  • conhecimento — quando a informação é absorvida por completo e aplicada à determinados contextos.


Portanto,
não faz sentido uma empresa dedicar uma parte de seus recursos apenas para coletar dados. Sem uma análise, a instituição não irá incorporar as informações e, portanto, não será capaz de adquirir novos conhecimentos.

 

Existe, ainda, outro elemento nessa jogada: a inteligência. 

 

Inteligência é quando as informações são absorvidas, compreendidas e aplicadas em vários contextos. Ou seja, quando adaptamos o nosso conhecimento à diversas realidades, pois temos total domínio sobre ele. 

 

Como analisar dados? 

Agora que compreendemos a importância da análise de dados, vamos percorrer um passo a passo para lhe mostrar como esse estudo é feito. 

 

1. Mapeie o negócio

O primeiro passo é mapear o próprio negócio, ou seja, praticar o “autoconhecimento”. Entenda quem são seus clientes, fornecedores e concorrentes. Liste também seus produtos e serviços, buscando qualificá-los por representatividade na sua atividade. 

Mapeie, também, os custos fixos e variáveis visando encontrar maneiras de reduzi-los. Avalie seus pontos fortes e as oportunidades que podem ser trabalhadas. Estude suas fraquezas e os riscos a que seu negócio está exposto. Não se esqueça de mapear os processos internos.

 

2. Defina os dados estratégicos

Feito o mapeamento, liste quais dados poderão facilitar o acompanhamento das atividades da sua empresa e as tomadas de decisão. Se precisar de ajuda, conte com o nosso expertise

Para a definição de dados estratégicos, devemos considerar a facilidade de sua obtenção e a periodicidade de captura. Por exemplo, se você vai comparar as suas vendas com o desempenho de seu concorrente, como você conseguirá essas informações?

Use a Inteligência de Mercado da ACP para isso. 

 

3. Registre os dados coletados

A terceira etapa é definir como os dados coletados serão registrados e armazenados. Esse passo é importante para formar um histórico, assim você terá um ponto de partida para comparar e validar seus resultados. 

Uma boa prática é utilizar sistemas de gestão e plataformas de CRM em nuvem. Dessa maneira, você poderá acessar as informações sempre que necessário. 

Vale ressaltar que os dados coletados deverão ser analisados antes de entrar para a base. Isso facilitará o cruzamento de informações, possibilitando simulações e projeções.

 

4. Analise os dados

De gráficos à relatórios sintéticos e aplicativos, existem uma série de ferramentas de TI que facilitam a análise de dados.  

Uma boa avaliação poderá ajudar a sua empresa a vender mais, conseguir mais clientes, fidelizá-los e até recuperar clientes inativos. Poderá, ainda, redirecionar seus produtos e serviços, diminuindo custos e melhorando a rentabilidade. 

Parece interessante, não?

Aqui estão mais dicas sobre análise de dados de pesquisas de marketing e de mercado.  

 

Conte com o suporte da tecnologia 

É fundamental que você utilize ferramentas tecnológicas apropriadas para o monitoramento, como um ERP e um CRM. 

O Enterprise Resource Planning (ERP) tem como objetivo analisar processos. Com esse sistema, além de monitorar cada etapa das atividades da sua empresa, você poderá identificar gargalos de produção e melhorar continuamente seu negócio.  

Já o CRM é destinado para a análise de clientes. Com isso, a equipe de marketing e de vendas consegue traçar o perfil do público-alvo e realizar ações mais efetivas.

Veja quais benefícios um CRM pode trazer para a sua empresa.

 

Faça a tabulação de resultados 

Quando a análise estiver pronta, tabule os resultados obtidos para padronizá-los. Dessa forma, fica mais fácil transformar os dados em informações

Verifique quais são os principais indicadores na hora de realizar a tabulação, como a frequência de um evento e seus impactos na produtividade. 

Confira 7 indicadores de gestão para PMEs.

 

Não confie em achismos

Sua estratégia é definida com base em achismos ou em fatos? A análise de dados fornece informações confiáveis sobre a sua empresa e o mercado. 

Algumas decisões até podem ser baseadas na intuição. Porém, o risco de algo dar errado é muito grande. Quando uma empresa conhece a si mesma e o segmento no qual atua, as chances de erro diminuem. Como diz o ditado: contra fatos e dados, não há argumentos”

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.