Prática que visa conhecer os competidores e entender os seus produtos, serviços, metodologias de trabalho e estratégias de atuação, de um modo geral, é assim que pode ser descrita a análise da concorrência. 

Os benefícios em aplicá-la são vários, incluindo a melhor compreensão do negócio, uma visão mais abrangente em relação ao mercado e o entendimento de como os concorrentes lidam com as adversidades. 

Portanto, se quiser ampliar os seus conhecimentos e se destacar em seu meio de atuação, continue aqui conosco, pois daremos algumas dicas para a realização de uma boa análise de concorrência.

A leitura é importante, e, por isso, merece toda a sua atenção. Confira! 

Determinar os objetivos 

Tudo deve começar pelos objetivos da análise. Nesse sentido, procure ser o mais específico possível, os determinando de acordo com os seus interesses e as suas necessidades de melhoria. 

Caso queira avaliar um determinado concorrente como um todo, faça pesquisas individuais para cada uma de suas “partes”. Essa é a ideia: sair da generalização sem aprofundamento para o estudo mais profundo dos seus pontos de destaque. 

É a partir de então que você entenderá o que ele está fazendo para obter resultados tão expressivos, por exemplo. 

Coletar dados de fontes confiáveis 

Independentemente de quais sejam os pontos de avaliação, ao fazer a análise da concorrência, certifique-se de coletar dados que venham de fontes confiáveis. Em outras palavras, as informações devem ser de procedência e estarem devidamente atualizadas. 

Do contrário, o que você conseguirá nada mais será do que um panorama distorcido e que não reflete a realidade, comprometendo, assim, a confiabilidade das suas análises. 

Uma ótima dica, aqui, é prestar atenção nas redes sociais e nos sites, blogs ou lojas virtuais dos concorrentes, pois muitas “revelações” acontecem justamente por meio desses canais. 

Os clientes ocultos também ajudam: um cliente oculto é uma pessoa contratada para visitar a concorrência e passar por uma experiência de compra. Após experimentá-la, ele montará um relatório detalhado explicando quais foram os pontos fortes e fracos. 

Ter um monitoramento constante 

Engana-se quem pensa que a análise da concorrência é algo que deve ser feito apenas uma única vez. Para ser possível obter os insights que tanto se espera, é preciso realizá-la de maneira constante. 

Trimestral, semestral ou anual, enfim, esteja sempre de olho, pois como você já sabe, o mercado vem mudando frequentemente. Dentro disso, está o fato de que novos concorrentes surgem a todo momento, sejam elas diretos ou indiretos.

Para concluir, é importante compreender que cada organização tem as suas próprias particularidades. O que funciona para uma, pode não funcionar para outra. Por essa razão, ao encontrar uma prática ou estratégia que vem funcionando em um de seus concorrentes, não as assuma como a solução ideal para os seus problemas. 

A recomendação é simples: adapte esses “achados” à realidade do seu negócio. Copiar cruamente a concorrência não é uma boa ideia. O segredo está na adaptação!

Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre a análise da concorrência. Se sim, não deixe de conferir os fatores que interferem na decisão de compra do consumidor.