Todo empreendedor acredita que a iniciativa é a principal arma da gestão. Embora estejam certos, muitos deles acabam limitando a forma de pensar. Isso porque, apesar da importância da força de vontade, o fato é que agir sem pensar é um dos maiores erros que podem ser cometidos por qualquer empresário. O resultado de uma gestão reativa, pautada na intuição, pode ser catastrófico.

Justamente por esse motivo, é que o monitoramento é uma das etapas mais importantes durante a gestão de empresas. Afinal, é nesse momento que temos a oportunidade de levantar os dados necessários para tomarmos decisões mais acuradas, que nos ajudam a enxergar com mais precisão a realidade interna e externa. E, nesse processo, os indicadores são indispensáveis.

Continue a leitura e conheça os principais indicadores de gestão para que você monitore a sua PME!

1. Ticket Médio

Nosso primeiro indicador de destaque é o ticket médio. O objetivo da métrica é descobrir qual foi o faturamento médio das suas vendas, o que pode ser útil tanto para avaliar o desempenho de cada vendedor de uma empresa quanto para avaliar o cenário completo, ou seja, o faturamento em cada negócio fechado.

Existe uma fórmula básica para chegarmos ao ticket médio:

Ticket médio = Receita total / número de vendas

2. Custo Fixo

Basicamente, os custos fixos são aqueles que não variam conforme o faturamento da empresa e, por esse motivo, devem ser avaliados com cautela para reduzirmos ao máximo. Estamos falando de questões como o pagamento de aluguel, o salário de profissionais, entre outras.

Diferentemente dos custos variáveis, que mudam de acordo com a variação do volume de vendas, o aumento dos custos fixos deve ser visto com maus olhos. Isso porque, enquanto o primeiro está ligado à produtividade, o segundo tem ligação apenas ao descontrole da gestão — na maioria dos casos.

3. Taxa de turnover

A rotatividade é um grande problema para uma organização, e isso inclui as PMEs. Afinal, na maioria dos casos, esse tipo de situação gera uma série de custos, que vão desde os ligados à contratação do novo profissional até os demissionais — isso sem falar na queda de produtividade.

É justamente por esse motivo que devemos acompanhar a taxa de turnover na empresa. Vamos acompanhar como realizar o cálculo?

Taxa de turnover = Número total de funcionários / funcionários desligados

4. Nível de endividamento

Muitos empresários se sentem satisfeitos ao perceberem o lucro nas suas organizações. Tenha cuidado para não cometer esse erro. O fato é que, embora a lucratividade seja importante, também devemos avaliar sempre o nível de endividamento.

Dos indicadores de gestão, provavelmente, esse é o mais ignorado. É muito importante sempre acompanharmos o nível de endividamento para evitar que a empresa acabe fechando as portas por conta dos juros e multas.

5. ROI

Um dos indicadores de gestão mais eficientes, o Return Of Investment, ou ROI, tem como principal objetivo estabelecer, por meio de um cálculo simples, a rentabilidade de cada investimento. Esse indicador é amplamente utilizado pelas empresas que buscam mensurar o retorno financeiro de uma aplicação.

O resultado do ROI é dado em percentual e é definido pela seguinte fórmula:

ROI = (retorno alcançado – investimento realizado) / investimento realizado x 100

A partir do cálculo desse indicador, você vai ser capaz de elucidar os resultados particulares de cada ação tomada e, dessa forma, compreender o que faz mais sentido para o seu negócio.

Com as informações geradas pelo ROI, você poderá definir os próximos passos com mais segurança e acerto. Assim, fica muito mais simples escolher quais áreas e aspectos da sua empresa merecem mais atenção.

6. Satisfação do cliente

Independentemente do porte, toda e qualquer empresa privada dificilmente sobreviverá, caso não gere lucro. Para isso, não existe outro caminho: a principal forma de produzir riqueza para o seu negócio é garantir clientes satisfeitos.

Portanto, o maior objetivo de uma empresa deve ser atrair e fidelizar bons clientes, de forma que ela consiga gerar lucro constantemente. Um dos indicadores para mensurar a satisfação dos clientes é o NPS, sigla em inglês para Net Promoter Score.

Essa métrica é calculada com base em uma simples pergunta: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você recomendaria a nossa empresa para algum amigo ou familiar?”.

O objetivo do questionamento é claro e muito eficiente. Mensurar o nível de satisfação com os atuais serviços da sua empresa mostra o que está funcionando e onde existem falhas dentro do negócio.

Caso o resultado das respostas dos clientes varie entre 0 a 6, algo não está funcionando corretamente. Você não conseguiu gerar satisfação suficiente em seus consumidores e, além deles pararem de consumir o seu produto, eles não vão indicá-lo a ninguém. Quer coisa pior para uma empresa?

No sentido oposto, se a maioria das respostas ficarem entre 9 e 10, sua empresa está no caminho certo. Esses valores mostram que seus clientes estão extremamente satisfeitos e, além de estarem fidelizados, são propensos a divulgar a sua marca em troca de nada.

Na métrica, as respostas entre 7 e 8 são neutras.

7. Lucratividade

Como descrito acima, a principal finalidade de uma empresa é gerar lucro, caso contrário ela não sobreviverá à competição no mundo corporativo, independentemente do quão bom estejam os outros indicadores de gestão.

Por isso, mensurar a lucratividade é fundamental para avaliar a saúde e o rumo da sua organização. Para obter um indicador confiável, não basta apenas somar os valores das vendas realizadas. Isso só vai elucidar o faturamento da sua empresa naquele determinado período.

A lucratividade de um negócio consiste, basicamente, em um saldo positivo entre todos os valores recebidos e gastos.

Esse é um dos mais importantes indicadores de gestão. Portanto, se o resultado da conta for positivo, sua empresa está auferindo lucros e caminha para o sucesso. Caso contrário, será constatado prejuízo e você deverá encontrar maneiras de reverter esse quadro, seja reduzindo os custos, aumentando as vendas ou aprimorando o seu produto.

Como você pôde perceber, a gestão da sua PME pode ser bastante otimizada apenas ao acrescentar algumas métricas de avaliação de desempenho. Portanto, se você deseja alcançar o sucesso duradouro do seu negócio, não deixe de incluir os indicadores descritos neste artigo na gestão da sua empresa.

Conseguiu aprender tudo sobre os principais indicadores de gestão? Então, assine agora a nossa newsletter e receba o conteúdo do blog exclusivamente no seu e-mail!

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.